segunda-feira, 3 de agosto de 2009

GALAPAGOS - Nada poderia ser mais convidativo




Em setembro de 1835, Charles Darwin, na época com apenas 25 anos, desembava em San Cristobal e, de acordo com os relatos descritos em seu diario, ele não gostou do que viu. Darwin relatou: “Nada poderia ser menos convidativo do que a primeira impressão”.
Minha experiencia, 174 anos depois, foi bem diferente. Aos meus olhos,de fato grande parte devido a influencia de Darwin, nada poderia ser mais convidativo!
Ao contrario de Darwin, que ja estava fora de casa ha quase 4 anos dando uma volta ao mundo dentro do modesto navio da marinha britanica HMS Beagle, eu cheguei em Sao Cristobal de aviao, depois de apenas 2 dias for a de casa.
Darwin encontrou um lugar desolado. Eu encontrei uma civilizacao que ja recebia diversos voos diarios lotados de turistas.
Se Darwin estivesse vivo, acredito que ficaria chocado ao ver centenas de pessoas desejando estar em um lugar que “nao poderia ser menos convidativo…”
O voo estava lotado, como de costume nesta época do ano. Do aeroporto, partimos diretamente para o barco que seria nossa casa por uma semana, o live aboard Deep Blue. Este belo Yatch, com 106 pés de comprimento possui uma ampla praça de mergulho, 9 cabines duplas com banheiros individuais, ar condicionado, tv , dvd, etc. e poderia acomodar 30 passageiros, incluindo tripulação, com conforto. Espaço nao faltava.


O Beagle, tinha 90 pés, e levava 74 pessoas, que dormiam em macas, e precisava de muito espaco para coletas e suprimentos. Com certeza eu tinha uma boa vantagem neste caso.


Apos sermos orientados, alocados, equipamentos montados partimos para o primeiro mergulho, um check out dive (mergulho para ajustarmos o lastro, equipamentos e adaptarmos ao local.
O ponto, Isla Lobos, e confesso que neste despretenciosos mergulho ja podemos sentir um pouco do que a semana iria prometer.


Na manha seguinte seguimos para North Seymor, onde realizamos 2 mergulhos sensasionais. Logo no inicio ficquei cara a cara com um tubarao galha branca de arrecife (Trianodon obesus). Depois apareceram outros..muitos outros. Uma raia chita passou por mim algumas vezes e tb encontrei uma arraia marmoleada, como chamam por aqui. Paramos em uim ponto onde havia muitos galhas brancas, e eles ficavam pairando com o corrente, que por sinal estava muito forte.













Depoius de passar alguns minutos me segurando nas pedras me deixei levar pela forte correnteza e fiz um drift por entre varios cardumes. Fizemos a parada de seguranca e voltamos ao barco em puro extase.




Darwin conheceu muito pouco da vida marinha de Galapagos. Suas poucas expedicoes com um equipamento muito precario (um balde com fundo de vidro) … imaginem...
Felizmente hoje temos recursos para ir além e nos aprofundarmos nas maravilhas e mistérios do mundo natural. O mergulho autonomo nos abre muitas portas, e entrar por elas e cada vez uma experiencia unica, principalmente em um lugar como Galapagos, onde "nada poderia ser mais convidativo".

2 comentários:

ca disse...

Estive ai faz 1 mês... aproveite mto por mim, curta Seynour Norte e a expectativa para chegar em Darwin. Mtos ballenas para vcs! :)
Diga oi para o DM Alejo que salvou a minha dupla de alguns apuros (rsrsrs).
Bons mergulhos. Bjos

Aula de criatividade disse...

Amor, essa viagem vai ter que se repetir logo... pq quero ver tudo isso junto com vc!!
Que lugar heim... dá vontade de fazer as malas já!
bjos e aproveita muito
Fla